FEBRE DE DESEJOS

Se fossemos pesquisar todas as diferentes situações, nas quais o ser humano se sente mais confortável para tratar e vivenciar suas fantasias libidinosas, a tabulação dos resultadas, não caberia nem nos robustos computadores de NASA.

Desde o insólito, ao bizarro, do inesperado ao mais comum dos desempenhos sexuais, o ser humano, dentre as espécies animais é o único que cria momentos de sensualidade com extrema criatividade, e faz da sexualidade um prazer independente do ato de procriar, diferentemente, de todas as outras espécies animais.

E tem gosto para tudo!Tem homem, por exemplo, que só gosta de mulher loira, inteligente, discreta e filósofa. Coitado, que vida difícil à deste cara! Outros já preferem as morenas, que detestam fazer compras e encher a fatura do cartão de crédito, de débitos. Este vai sofrer muito!

Tem mulheres que gostam de homens muito mais novos, garotão sarado, e para isso investem – literalmente – todos os seus recursos disponíveis nesta preferência. Não se iludam, vão receber muita carta de cobrança, em casa. Outras já mais realistas preferem homens muito mais idosos e experientes. Certamente, coitadas, além de viverem dependuradas no telefone da farmácia, irão sempre para a cama bem cedo...Dormir

Enfim de tudo um pouco, encontramos um pouco deste tudo, inclusive no cara que adorava quando sua mulher ficava com febre. 

É verdade!

-Benzinho, você está espirrando, vai ficar resfriada.
-Ih, Carlos Eduardo, vira esta boca pra lá! 
-Marta Maria, um resfriadinho de vez em quando é normal. 




Às vezes até uma pneumonia.
-Nossa que conversa de UTI, sai pra lá!



-Também não exagera Marta Maria, fico louco de tesão quando você tem febre.


-Enlouqueceu Carlos Eduardo? Tanta coisa pra você gostar em mim: minhas coxas, meus beijos, essa sua tara na minha bunda, agora desejar que eu tenha febre?


-Marta Maria, quer que eu minta? É isto que todo mundo chama de cumplicidade, é quando os parceiros participam e aprovam, uns as preferências do outro e quando você tem febre você fica um vulcão por dentro. Lembra-se lá em Campos do Jordão, naquele frio desgraçado, quando você ficou de cama três dias, com febre de quase quarenta graus...

-É você seu safado, não saía de cima de mim...
-Marta Maria eu adoro você com febre, fica pelando lá dentro, nem posso pensar...

-Tá bom, então vai transar com o forno de microondas, seu idiota taradão.Ou então, com o nosso fogão tradicional, que além de esquentar tudo, ainda tem mais cinco bocas do que eu.
-Marta Maria você com febre, realmente sua boca fica quentinha, gostosa, e me enlouquece...




-Carlos Eduardo, você está ficando maluco!
-Não Marta Maria, sou verdadeiro.
-Esta vendo: eu agora não paro de espirrar e minha garganta já esta começando...
-Marta Maria é seu instinto de fêmea que está falando mais alto, você quer o melhor pra mim. Vou sair e comprar umas latas de sorvete, pois, se vier uma pneumonia eu troco seu carro, por um zero quilômetro.
- Troca? Eu acho Carlos Eduardo que já estou com febre. Deixa-me colocar o termômetro.Não disse, trinta e nove e nove. Quase quarenta!

-Não Acredito Marta Maria
-Tudo bem, mas olha pneumonia eu não te garanto, mas que essa febre não vai passar tão cedo, pode ter a certeza...
-Que carro é, Carlos Eduardo? O que eu sempre quis?
-Se a febre ficar hoje e amanhã eu dou o que você sempre quis.
-Não me engana, seu canalha...
-É sério Marta Maria
-Nossa, Carlos Eduardo, já estou com quarenta e um graus.
-Então vamos, Marta Maria, vamos incendiar aquela cama, e aproveitar enquanto ainda você não está com aquela tosse compulsiva, mas não deixa a febre baixar.Promete?
-Prometo. Vamos Carlos Eduardo. Vou chamuscar esta lingüiça, meu maluco adorado! Tudo por um zero quilômetro, engata logo a primeira. (risos, muitos risos).

NÃO SE APRENDE NA ESCOLA.


Está havendo um verdadeiro surto de sexólogos neste país.
Ora, parece que ninguém, mais quer trabalhar, e a maioria cita Kama Sutra como se o tivessem lido, algum dia.
Afinal, ficar vendo aqueles desenhos é absolutamente, enfadonho!
Ele mesmo, poderia ter feito aquilo tudo sem ficar só imaginando aquelas centenas  de posições, porém, o sábio Kama Sutra tinha a certeza que se executasse a maioria daquelas suas posições  propostas,iria certamente, parar em um  centro de urgências ortopédicas, com lesões profundas e irreversíveis.
Fazer sexo, não é um exercício de academia de ginastas para super preparados!
Também esse negócio de homens e mulheres querer aprender a fazer sexo e aperfeiçoar as performances como se estivessem no Cirque du Soleil é uma insensatez.
E são sempre as mesmas ansiedades, pois, os homens ficam querendo ter um membro genital que, só caberia nas calças se “enrolados”, e a mulheres  vivendo aquelas fantasias de que, o parceiro um dia encontre nela o seu Ponto G, e finalmente, possa ter múltiplos e infindáveis orgasmos,daqueles que começam na noite anterior e só terminam na manhã do dia seguinte.
Menos por favor!
Os homens, sempre muito exagerados, continuam insistindo em apimentar as relações imaginando posições tão difíceis que antes de irem para a cama ele obriga a parceira a ver um vídeo explicativo.
E se algo começa a não dar certo, acham que procurando um sexólogo vai resolver.
Numa rápida entrevista que vimos de um destes profissionais e estando a mulher se queixando  de que nunca conseguia atingir o orgasmo, ele teve a petulância e absoluta indelicadeza de dizer para a sofrida consulente, para que ela parasse de se preocupar com aquilo, pois, ele também, não acreditava em milagres.
Como assim?
E parece que este “profissional” não tinha dinheiro para comprar uma cama, pois, dizia que ela era culpada por tudo, e pregava o ato sexual, sempre fora dela.
Sexo fora da cama, é a teoria que liberta o homem e a mulher da escravidão da rotina do colchão e aconselhava que, se encontrasse os mais inusitados lugares para a atividade sexual tão prazerosa.
Seguindo as instruções e aconselhamentos destes novos sabichões do sexo, um casal de amigos meus ficou preso dentro da máquina de lavar roupa.
Que absurdo!
E para culminar com suas sandices, para aqueles que já estão casados a mais de 40 anos, e, ainda sonham em usufruir orgasmos entre si, o sexólogo de plantão propunha que, ao invés deles abandonarem a cama deveriam isto sim, abandonar um ao outro.
Pode um negócio destes?

A CASA DAS TREPADEIRAS.




                                                                         


                                                                                  
Naquela mansão, duas irmãs conversavam sobre a reforma da casa onde moravam.
Marilaine e Rosália eram dessas meninas com carro do ano na garagem, poupuda herança garantida, muitos pretendentes, e nasceram para viver a vida, sem limitações.Ambas, gozavam literalmente os momentos sem nenhuma preocupação no amanhã.
-Rosália, eu estava lendo numa revista de decoração que a última moda é, na frente das casas, como as nossas, colocar-se trepadeiras elas dão o ano todo e flores lindas. Fica muito bonito!
-Mais uma Marilaine?
-Como assim, Rosália. Não entendi esta sua “mais uma”- retruca Marilaine
-Estamos falando de trepadeiras, não é? Então mais uma?- respondeu provocativa Rosália
-E qual é a outra Rosália?
-Você, lógico! Po mulher, você não pode ver um homem. Até com o meu último namorado você transou e dentro do meu carro. Meu carro entendeu? Ele mesmo me falou que foi dentro do carro, na nossa garagem e de manhã quando fui para o trabalho, ainda senti odores que me excitaram – desabafou Rosália, sem deixar escapar risos inevitáveis.
-Não era mais seu namorado. Era só mais um homem disponível. Um homem, não, um pênis disponível, ta?E quer saber? Eu cansei de ser cantada por ele, muito xaveco no meu ouvido e isso, enquanto ainda era seu namoradinho. Você não dava conta do recado? Eu dei e foi quando vocês terminaram. Então eu dei, mesmoooo!
-Eu sei que deu.Aliás se existe alguma trepadeira entre nós duas é você Marilaine.Nossa, pisa no freio. Aliás só pensei em botar uma trepadeira na frente da nossa casa para você ter companhia.
-Tá bom. Não pode ser um “trepadeiro"? Eu ficaria melhor atendida- ridicularizou logo a conversa, a atrevida Marilaine entre boas gargalhadas.
-Tem uma que é linda, vermelha, intensa, o nome dela é lágrimas de Cristo
-Não Rosália, deixa Cristo fora disso.
- Ah, tem outra muito bonita também que é a sete-léguas,de rápido crescimento,dá muitas flores cor de rosa...
-Se cresce rápido ficamos melhor servidas. - E continuam os prolongados frouxos de risos.
-Nossa, Marilaine, mas são sete- léguas. Não acha grande demais?
 - E daí? Que venham as sete, oito, nove...
- Chega depravada, pára com isso.
-Já sei vamos botar então a jasmim - estrela é branquinha e cheirosa.
- É lésbica agora, santinha? - Novamente, muitos risos, gargalhadas e agora, abraços.
Não teve jeito e prevaleceu mesmo as mais lógicas das idéias provocativas e, as trepadeiras atualmente, enfeitam os muros daquela cobiçada residência, pelos cuecas de plantão das vizinhanças.

PESADELO SEXUAL.



Estava tão dolorido que mal conseguia levantar-se da cama. Mas afinal o que teria acontecido? Com muito esforço foi ao espelho e ao olhar-se viu que, seu rosto estava com os olhos pretos como se dois socos muitos potentes os tivessem atingidos.
Seus lábios inchados, não davam mais para fechar a boca e todo o seu corpo estava marcado por dentadas e unhas perfurantes.
Não acreditava naquela visão aterradora das marcas no seu corpo. E começou a tentar lembrar-se do que tinha acontecido.


Chegara à conclusão que antes de dormir estava em perfeito estado físico e agora aquele terrível bagaço humano.
Aos poucos, no entanto, algumas lembranças começaram a vir a sua mente, eram fugidias lembranças do seu sonho.
E logo escutou, Escutou uma voz lá no fundo da casa:
-Bromélia,minha esposinha querida, comprou minha cervejinha?
-Não tive tempo Clodoaldo Praxedes, trabalhei feito uma louca, arrumei a casa toda, o banheiro estava um chiqueiro, tinha cueca suja até debaixo da cama, o chão estava coberto de farelo de pão, pedaços de mortadela, cinzas de cigarro. Você está fumando muito Clodoaldo.

-E o que você tem com isto,Bromélia? O pulmão é meu e que se dane! E outra coisa: onde está a camisa preta que eu pedi para você passar?
-Não deu tempo Clodoaldo.
-lógico que não deu tempo mulher, você só fica conversando com estas vagabundas iguais a você, vai pro botequim, paquerar estes homens casados aqui do bairro. Você é uma mulher casada.Tenha mais responsabilidade.Olhe o futuro dos seus filhos,Dê bom exemplo,Bromélia.Seja mãe, e não uma piranha.
-O quê, Clodoaldo Praxedes? Você me chamou de piranha,seu bebum? Disse que eu sou vagabunda, não faço as coisas da casa, então eu vou te encher de porrada, seu frango de macumba.
E então, Bromélia, partiu para cima de Clodoaldo Praxedes, com tudo e, acertou-lhe vários socos na boca.
Voaram seis dentes.
Dava-lhe pontas-pé no saco e fez o conteúdo virar omelete.


Clodoaldo Praxedes gritava por socorro, mas a vizinhança dizia que em briga de mulher com homem, ninguém deveria meter a colher, pois, segundo eles se Bromélia não sabia por que estava batendo, com certeza Clodoaldo sabia por que estava apanhando.
E Clodoaldo continuava a tomar muita porrada.
Isto estava se tornando uma rotina, eram todos os dias, pois Bromélia chegava bêbada em casa, frustrada por não ter transado com aquele homem que, ela estava paquerando e louca para dar-lhe uma dentada naquelas nádegas saradas, e enquanto isso o chato do Clodoaldo Praxedes só vivia reclamando que, precisava fazer as compras, comprar cervejas, pagar o colégio da criançada, ir ao barbeiro e não tinha dinheiro,dinheiro,dinheiro...
Bromélia, então irritada dizia aos berros que se ele bebesse menos, o dinheiro que ela dava pra ele, sobraria e... dava  mais porrada no Clodoaldo Praxedes.
Bromélia jogava panela na cara dele, dava rasteira, soco na barriga, na cabeça e o pobre coitado, sozinho e sem a quem recorrer,sentindo-se o último dos homens ,trancava-se no quarto e chorava,chorava,chorava...


Clodoaldo Praxedes, só aguentava aquela desmoralização  pensando na família, nos filhos, no lar engolia, a seco.
Sua vida era um inferno!
Sexo que é bom, Clodoaldo só via pela Internet, pois Bromélia o castigava naquilo que tanto ele gostava.
Em meio a tanto desespero, constrangimentos e cenas degradantes, de repente, ele ouviu um barulho da campainha da casa e Clodoaldo Praxedes quase caiu da cama.Só então entendeu que tudo aquilo era um pesadelo.
Nossa a sua alegria foi tanta que até banho ele tomou naquele dia.


Atordoado, nem comentou nada com a Bromélia , mas se ainda tinha dúvida da necessidade de algumas leis entrarem imediatamente em vigor, pelo menos de uma ele jamais esqueceria: A Lei Clodoaldo Praxedes em homenagem, no mínimo, àquele terrível pesadelo.

QUANDO SEU COMPANHEIRO DIZ ISTO, MAS QUIS DIZER AQUILO!



- Será que você hoje poderia fazer uma comida diferente?
Quis dizer - Pô, eu não aguento mais comer Miojo com ovo mexido.
 -Olha, aqui meu amor, leva meu cartão de crédito mas toma muito cuidado pois, acho que já estourou o limite.
Quis dizer – Não leve.
 -Estive reparando o seu bumbum.Está diferente,empinadão, muito lindo,está fazendo ginástica?
Quis dizer- Me dá?
 -Esse final de semana fui convocado para dar palestra naquela instituição de caridade que está precisando arrecadar fundos.
Quis dizer – Finge que você é uma idiota!
 -Não posso nem pensar mais em ficar longe de você.Amor é muita saudade, nem sei direito a causa disso.
Quis dizer – Se prepara, pois vou dedicar mais tempo a minha amante.
 -Até o fim do ano dou aquele carro a você, mas acho que vai ser um modelo muito melhor do que você pediu.
Quis dizer –Se você não encher mais meu saco com as minhas peladas aos domingos.
 -Amor, nem vou contar o sonho que ontem tive com a minha sogrinha, agora tenho a certeza que gosto muito dela.
Quis dizer – Sonhei que sua mãe tinha morrido.

-Gostosa, estou muito cansado, vamos pra cama um pouquinho?
Quis dizer – Vamos dar "umazinha"?

SUGESTÕES PARA REVITALIZAR O CASAMENTO.


Pois é, aquele búfalo no cio que as mulheres conhecem na fase de namoro, após o casamento, vai se transformando em um ratinho branco, dorminhoco de laboratório.

E aquela mulher fogosa,depilidíssima e perfumada daqueles fortuitos encontros maravilhosos, quando começa depois de alguns anos de casamento a só ter cheiro de fritura com óleo de soja, e aquela certeza de que a noite jamais será inesquecível, pois a esperança de que seu parceiro lhe proporcione múltiplos e infindáveis orgasmos , após intensas preliminares, e algo tão improvável quanto o fim do mundo , agora em 2012,mas, não se desespere, pois nada estará perdido.
Não percamos as esperanças e vamos aqui dar algumas novas sugestões infalíveis que irão restaurar no sôfrego casal, extenuado após a realidade de seguidos anos de casamento, a vitalidade dos recém- namorados.

1-COLOCANDO O MARIDO PARA TREPAR.
O homem pega a escada e sob os olhares atentos e excitadíssimos da mulher recebe ordens dela para colocar a cortina no trilho, e para isso terá que trepar várias vezes... na escada.
2-COITO INESQUECÍVEL.
Prometa a sua mulher que aquela noite será inesquecível, tais quais aquelas anteriores, ao casamento.

E cumpra a promessa. A noite leve-a para cama e coloque o DVD com o filme :Era uma vez na América.

Este filme é longo.

Serão quase quatro horas de intenso prazer.

Cinematográfico , é claro.
3-SWING.Convide vários dos seus casais amigos para uma sessão de swing e muita movimentação, na sua casa.

Coisa de louco!

Quando os convidados chegarem coloque todos para dançar os swings inesquecíveis de Glenn Miller, Tommy Dorsey, Harry James, Duke Ellington, Count Basie...

Vocês irão gozar intensamente ... a época das Big Bands.
4-QUEBRANDO A CAMA.

Faça uma surpresa para sua mulher. A noite entre no quarto com martelo, serrote, querosene e muita disposição.

Peça para ela levantar-se e comece a dar vigorosas porradas na cama com o
martelo, cerrar-lhe algumas outras partes e sempre jogando muito querosene, pois, está imprestável e infestada de cupim.

Nada que você fizesse com sua mulher , teria tanta volúpia animal , quanto isso, seus coelhinhos devassos!

5-ANAL E ORAL.

Você irá prestar-lhe um serviço que ela jamais esquecerá.

Entregue à sua amada os supositórios para a dor reumática crônica dela e um vidro de colutório spray como antissético bucal para ser usado de duas em duas horas.

Por ambas as vias de administração distintas dos medicamentos ela se sentirá plenamente, atendida e satisfeita.Como viram, todo casamento tem solução e os prazeres renascem desta ou daquela forma,se forem criadas novas abordagens neste relacionamento com constantes e imprescindíveis atualizações.

Para isto, vocês precisam ser muito criativos e comendo juntos...qualquer coisa!

A MEDICINA DO PRAZER!


Conheci uma boa médica. Até pensei que fosse muito esparadrapo para o meu curativo.
Conversa vai, conversa vem e já estávamos no seu apartamento.
Trocou o elegante jaleco de linho branco por uma sedutora lingerie preta. Um som, pouca luz e uma atmosfera propícia para uma demorada consulta sem estetoscópio !

Que corpanzil. Não era grande. Era perfeito! Oh, o amor é lindo! Este é o tipo de mulher que jamais se preocupa se os homens irão ou não propiciar-lhes generosas e demoradas carícias,ao contrário de muitas outras que, chegam a fazer até passeatas em vias públicas, levando multidões a Praça da Sé ou a Candelária em comícios feminista pró-preliminares.
Aquele mulherão sabe que ninguém irá poupar-lhe uma extenuante preliminar. Seria o mesmo que pescar sem anzol. Coloquei-me a seus pés com humildade e o menor vestígio de machismo. Exorcizei qualquer possibilidade de ejaculação precoce, mantendo a idéia fixa na imagem do Paulo Maluf, nu na cadeia, dizendo-se inocente.

No entanto, durante uma das minhas mais irretorquíveis performances e uma empolgação de deixar comissão de frente de escola de samba com inveja, ouço um sussurrar rouco e quente, que dizia:
- Explore mais meus corpúsculos de Meissener. Não entre em estado de detumescência. Coisa gostosa! Hoje não vou ter dispareunia. Como é lindo o seu membro. Nenhum vestígio de doença de Peyronie.
-Epa! O que está acontecendo?- Inquiri, abandonando o parque de diversões.

-Amor, não pare - ela insistia, lamuriosa.
-Já parei! - disse e fazendo aquele beicinho infalível de homem carente.
Olhamos demoradamente, um nos olhos do outro. Seu rosto era um misto de decepção e culpa. Lágrimas verteram do seu verde olhar. Sua beleza então se tornou mais exuberante e sofrida. Resolvi partir para o diálogo:
-Você falou sobre doença de Peyronie no meu membro?
-Desculpe, eu estraguei tudo;
-Eu tenho ou não, este troço no meu membro?
- Não. Eu disse que era lindo e não tinha nenhum vestígio;
-E porque você falou nisso, logo naquela hora?
- Em geral os homens apresentam sempre alguma nuance da doença de Peyronie no membro;
-Mas que diabo é isso? Se não tenho, porque precisava falar. É alguma tara?
-Uma besteira. Desculpe, meu provedor gostoso!
-Não,agora explica o que é isso.
-Depois. Vamos continuar...
-Não. Que doença que eu não tenho e você falou, gratuitamente?
-É a fibrose da membrana albugínea que reveste o corpo cavernoso, determinando uma curvatura do eixo do pênis.
-Curvatura do eixo do pênis?
-Amor, o pênis fica torto para um dos lados e meio curvado...
-Parece que bateu de frente? Fica com a carroceria fora do centro e andando de lado? (risos);

-Seu bobinho, é isso mesmo. Dá para quebrar o galho e até operar;
- Ainda bem. Dá para fazer uma lanternagem. E a tal da "detumetendo"?
-Não é detumetento (mais risos).
-Você falou no meu ouvido para que eu não entrasse em estado de detumetendo;
-Estado de detumescência! -corrigiu rápidamente.
-E daí? Eu tô no maior rala e rola, querendo nota dez na performance e de repente você enfia esta coisa no meu ouvido;
- Foi mal!
-Dá pra explicar?
- Detumescência e a redução da inchação dos corpos cavernosos, quando o pênis retorna à condição de flacidez.
-Amolece?
-É.-Você notou que eu estava broxando?
-Não, pelo contrário...
-E porque falou?-É por causa deste meu vício profissional, incorrigível de análise diagnóstica,amor.
-Escuta,minha gostosa, quando você tirar este jaleco, deve também tirar da cabeça estas coisas,e mostrar só seus melhores argumentos cientificos e anatômicos.
E depois, ainda falou daquele tal de corpúsculos...
-De Meissner?
-E eu com isso?
-Eu pedia que você explorasse bem meus corpúsculos de Meissner. São corpúsculos da pele responsáveis pela percepção do tato...
-Porque não pediu em português normal,tipo: amassa, morde,arregaça, vai fundo e me chamando de garanhão dominador?

-Pois é, estava tão gostoso, meu amor. Você realmente caprichava naquelas preliminares que nós adoramos. Aí estraguei tudo, com aquele palavreado que lhe assustou. Esquece.
-Ainda não. Você fala estes tsunamis no meu ouvido, agora explica, pois, soou como um soco na minha trompa de Eustáquio.
- Dispareunia é quando a mulher na hora do coito sente dor.
- Dor?
-É uma doença. Eu disse que não ia sentir dispareunia desta vez.
-Ainda bem, afinal nós viemos aqui para sentir prazer ou dispareunia?
-Pois é, agora vamos voltar para aquelas maravilhosas preliminares que você estava me proporcionando seu desbravador. Só falta o ponto G!
-Tudo bem, mas lhe peço um favor doutora: Em homenagem a Hipócrates, fica só gemendo. Tá certo?
-Prometo!