O REPULSIVO ODOR DE NAFTALINA



                                                               


Das coisas antigas que me lembro, são aqueles bondes que faziam a alegria dos estudantes caronas e o trabalho insano dos cobradores correndo atrás da garotada para pagarem as passagens quando eles pulavam dos estribos.
Nestes maravilhosos e romanticos meios de condução tinham aquelas propagandas maravilhosas do tipo:
Veja, ilustre passageiro, O belo tipo faceiro/que o sr.tem a seu lado/mas,no entanto acredite/Quase morreu de bronquite/Salvo-o:Rhum Creosotado.
                                                                  

E também todas as mulheres do mundo tinham duas poções mágicas e de absoluta confiança para o excesso,falta ou escassez naqueles dias nos quais era necessário estar prevenida com aquele remédio, verdadeira panaceia dos males femininos, naqueles tempos idos de tantas décadas atrás.
                                                                      

Tempo antigo no qual, muitas mulheres, se orgulhavam de ter um cafetão ao qual sustentava e geralmente era por ele espancada para aprender que mulher tinha que servir, ser submissa, respeitar seu macho, e quando quisesse o seu amor teria que comprá-lo.
Época sombria desta sociedade na qual só tinham grandeza, os bondes e os seus anúncios muito saudosos.
Evoluimos, que bom chegaram as feministas, puseram a casa em ordem,lutaram durante décadas por sua emancipação, conquistaram o mercado de trabalho, se impuseram perante uma sociedade na qual só lhes era reservado comentários que diziam que lugar de mulher era na cozinha, ou num belo tanque cheio de roupa para lavar e outras teses da misoginia , a repulsa, desprezo ou ódio contra as mulheres. Esta forma de aversão mórbida e patológica ao sexo feminino está diretamente relacionada com a violência que é praticada contra a mulher.
Infelizmente, ainda hoje!
Porém, a luta da sociedade como um todo é de reprovação a tudo aquilo que possa colocar a mulher numa posição subalterna em qualquer tipo de situação.
Mas, quando tudo parecia estar caminhado bem, no Dia Internacional da Mulher o Presidente da republica federativa do Brasil entorna o caldo e coloca a mulher no seu lugar mais primitivo e superado dos últimos 70 anos no mundo ao vociferar com ar machista:
"Tenho absoluta convicção, até por formação familiar e por estar ao lado da Marcela , do quanto a mulher faz pela casa (TAMBÉM), pelo lar (TAMBÉM). Do que faz pelos filhos(TAMBÉM). E, se a sociedade de alguma maneira vai bem e os filhos crescem, é porque tiveram uma adequada formação em suas casas e, seguramente, isso quem faz não é o homem, é a mulher (TAMBÉM)". 
Pronto,Sr.Presidente, ao colocar o meu "TAMBÉM", prestei a devida correção ao seu desastroso discurso e, por ter feito isto, não quero nenhum cargo em seu governo.
Sou alérgico a estas antiquíssimas  bolinhas de naftalina!

                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário